Blog

Paredes Verdes: Novas perspectivas na biodiversidade urbana

Bosco_Verticale_foto_BarrecaLaVarra_progressjansection-1 O conceito de sustentabilidade e a integração entre a natureza e o cenário urbano das grandes metrópoles mundiais trazem novos desafios e exigem doses de criatividade, inovação e planejamento para se colocar em prática as soluções denominadas “verdes”, que sugerem inúmeros benefícios à população, além de conferir beleza, frescor e equilíbrio ao ambiente. Na Europa muitos prédios já foram projetados seguindo a forte tendência mundial do Eco Design, design sustentável, com “paredes vivas” ou “concreto verde”, que são os jardins verticais construídos nas paredes externas dos edifícios e trazem diversas vantagens como, por exemplo, redução da radiação solar, melhoria na qualidade do ar, isolamento térmico com redução da temperatura interna dos apartamentos, minimizam os ruídos externos, além de diminuir os gastos energéticos e garantir um visual incrível à construção. Em 2014 foi inaugurado o famoso condomínio Bosco Verticale em Milão, considerada a “primeira floresta vertical do mundo”, e recebeu o Highrise Awards, um dos principais prêmios da arquitetura internacional. O design das duas torres residenciais foi totalmente concebido nos princípios de sustentabilidade inovadora, através de recursos “verdes”, propondo a simbiose entre a relação homem e natureza, trazendo uma nova concepção de biodiversidade urbana. O Brasil também já segue a tendência mundial do Eco Design, principalmente nas grandes metrópoles, que são beneficiadas com projetos de construções sustentáveis que privilegiam os jardins verticais como forma de intervir positivamente no cenário urbano, promovendo melhorias na cidade e também no dia a dia dos moradores, a partir de uma nova perspectiva de redução no consumo de recursos. As principais metrópoles do mundo como São Paulo precisam cada vez mais de soluções que conectam o “verde” ao panorama urbano. As propostas que integram jardins verticais aos edifícios das cidades são fundamentais para repensar de forma consciente e responsável a nossa relação com o ambiente e o uso de recursos não renováveis. Essas novas construções sustentáveis já trazem melhorias imediatas ao seu entorno, no que diz respeito principalmente ao aumento da retenção das águas pluviais e umidade do ar, mantendo as cidades mais frescas principalmente nos meses de verão, além da redução na poluição sonora e do ar como alguns aspectos que farão toda a diferença para as próximas gerações.