Blog

Saindo da casa dos pais em 6 passos

Captura de Tela 2015-09-14 às 13.06.27 Sair da casa dos pais é o desejo de muitos jovens e alguns adultos que estão cansados ou até mesmo com vergonha de ter que seguir as regras de quem paga as contas do condomínio. Porém, a decisão de sair debaixo das asas nem sempre é uma tarefa fácil. Por isso, nós fizemos um passo a passo de como sair de casa e conquistar a tão desejada independência:

1. Emprego
Quem deseja conquistar a independência precisa, primeiro, ter condições financeiras para ser independente. Nesta questão, o primeiro ponto a ser analisado é a estabilidade de seu emprego, pois caso seja algo inseguro, você corre o risco de reviver a história do filho pródigo.

2. Salário x Contas
Visto que você está seguro no emprego, é momento de analisar o quanto é possível desembolsar por mês para o aluguel ou compra de seu apartamento. Especialistas recomendam que os investimentos em moradia não ultrapassem de 20% de sua renda.
Falando em contas, separamos um vídeo que mostra, de um jeito descontraído, as vantagens e desvantagens de morar em seu próprio espaço. Dá uma olhada antes de seguir para o próximo passo...
3. Vai com quem?
Continuando... Agora que você sabe o quanto pode gastar com seu novo lar e todas as obrigações de um “dono de casa”, é necessário analisar com quem você vai viver. Namorada, noiva, amigo, colega, primo... Ter alguém para compartilhar as contas e responsabilidades é algo interessante. Dessa forma é possível adquirir um imóvel com mais recursos do que se fosse morar sozinho. Porém, lembre-se: viver junto é como uma sociedade, cada um tem suas responsabilidades e hábitos, por isso é muito importante analisar bem quem será seu companheiro de apartamento para que esta sociedade não se rompa antes do planejado.

4. O lugar ideal
Definido se irá morar com alguém ou sozinho, chega a hora mais legal de todas: escolher seu lar. A primeira coisa que deve ser analisada é o bairro ideal para você. Então, analisando suas possibilidades financeiras e as características fundamentais para abrigar suas necessidades, escolha o imóvel mais próximo da localização que você considera perfeita. Pesquise em no mínimo 2 imobiliárias da região, eles geralmente concentram as ofertas da vizinhança.

5. Burocracia
Vai comprar ou alugar? Independente da forma de aquisição do imóvel, sempre haverá gastos com contratos. No caso da compra, o investimento é mais alto, escritura, cartório etc... Geralmente esses gastos burocráticos da compra, giram em torno de 4% do valor do imóvel.
Já no caso do aluguel de um imóvel, o principal ponto a ser analisado é a questão do fiador. Muitas vezes é difícil encontrar uma pessoa de confiança, o que acaba provocando a necessidade da contratação de um “seguro-fiança”. O valor desse serviço varia entre 1x e 2,5x do valor do aluguel. Tudo dependerá da análise de crédito do inquilino e da seguradora escolhida.

6. Móveis
Se você não está se mudando para um imóvel mobiliado, será necessário avaliar muito bem esta questão, pois por menos exigente que você seja com a decoração da casa, existem itens que são fundamentais para montar as bases de sua moradia, como: geladeira, fogão, micro-ondas, jogo de cozinha (pratos, panelas, talheres), cama, guarda-roupa, sofá, mesa, cadeiras e uma televisão. Somando o valor desses itens básicos, você gastará em média R$ 8.450,00 para mobiliar a sua casa. Mas lembre-se que isso é apenas o BÁSICO!

Agora que você já sabe como abrir a porta pra sua independência, é só correr atrás.